Felizmente continua a haver luar (Julho 2017)

Ao amigo Carlos da Fonseca (1940-2017). Homem que foi sempre alérgico a poderes. 1. Os resultados das eleições francesas são conhecidos. Como é o caso em cada eleição, eles são uma fotografia da sociedade, uma imagem fixa, momentânea e, não obstante, superficial, na medida em que as sociedades são corpos vivos e em constante movimento. Mais...

Jorge Valadas | Publicado há 2 meses
Jornal Mapa  | Quarta-feira, 2 de Agosto de 2017
0 comentários

A escola da irresponsabilidade

Uma escola em que não se reflete e não se desenvolvem afetos põe os indivíduos em segundo plano. Nelson Nares nelsonares@gmail.com Este texto surgiu do imperativo de refletir e partilhar ideias sobre a escola Mais...

Jorge Valadas  | Quinta-feira, 11 de Maio de 2017
0 comentários

Felizmente continua a haver luar (Abril 2017)

Conversa com o meu primo americano A crise da representação e os novos monstros saídos das urnas. « Pusemos tudo [a situação mundial] em total desordem e ninguém sabe nem como nem onde procurar os meios Mais...

Jorge Valadas  | Quinta-feira, 11 de Maio de 2017
0 comentários

Felizmente continua a haver luar (Janeiro 2017)

Carta ao meu vizinho que fez a guerra colonial Caro Senhor, Somos da mesma geração e cruzamo-nos na vida de cada dia sem no entanto trocarmos muitas palavras. Bom dia, boa tarde, uns comentários sobre o sol Mais...

Jorge Valadas  | Quinta-feira, 11 de Maio de 2017
0 comentários

Felizmente continua a haver luar (Julho 2016)

Para o Júlio Carrapato. Companheiro de bons momentos, de conversas, de acordos, de desacordos também… Anarquista alérgico a compromissos, concessões e outras meias tintas, homem íntegro invulgar, de Mais...

Filipe Nunes  | Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2017
0 comentários

Pelo Tâmega

A nossa proposta à descoberta da natureza vai ao encontro das resistências que hoje têm lugar nas margens do rio Tâmega e seus afluentes. A “Cascata do Tâmega” é o nome dado a um total de cinco barragens Mais...

Filipe Nunes  | Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2017
2 comentários

Baldio da Serra de Serpa

Até há um século atrás o mais vasto território comunal do país situava-se a Sul na raia de Serpa. O baldio da Serra de Serpa totalizava perto de 40.000 hectares delimitados a Norte pela Aldeia Nova de São Mais...

Filipe Nunes  | Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2017
0 comentários

Cantinho da Ribeira

No concelho de Beja, depois de Baleizão e Catarina Eufémia, cabe à Trindade e ao Cantinho da Ribeira um lugar ainda hoje vivo no imaginário das resistências contra os senhores da terra. De vidas ceifadas pela Mais...

Filipe Nunes  | Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2017
0 comentários

Terras do Demo

Chamou-lhe Aquilino Ribeiro “Terras do Demo” às serranias beirãs onde nasceu a sua escrita, aquela que não poderemos prescindir se alguma vez quisermos entender o primitivo sentido das gentes na sua relação Mais...

Sandra Faustino  | Sábado, 17 de Setembro de 2016
0 comentários

Estamos a formatar um produto

A 13 de Junho começou a encher a albufeira criada pela construção da barragem do Tua. Declarou-se a morte de 420 hectares do vale e de vários anos de protestos. A qualidade da água ficará para sempre comprometida, Mais...