shop-cart

MIL E UMA DIATRIBES E UM SOPRO DE VIDA

Júlio do Carmo Gomes

A luta é também encantamento. O poema que aqui tem lugar não busca apenas desatar os nós do capitaloceno e transgredir o desencantamento produzido pelo regime liberal: versa o encanto.

A praga do planeta Terra

Jornal Mapa

A Vida Não é Útil é o primeiro livro de Ailton Krenak publicado em Portugal. É um acontecimento a assinalar. Divide-se em quatro partes, eloquentíssimas: «Ninguém come dinheiro», «Sonhos para adiar o fim do mundo», «A máquina de fazer coisas» e «O amanhã não está à venda».

29 de Novembro – mais uma data fundamental para Vincenzo Vecchi



Teófilo Fagundes

No passado dia 11 de Outubro, decorreu a audiência do Supremo Tribunal de Justiça (cour de cassation) de Paris que deveria decidir o destino de Vincenzo Vecchi, conforme informámos em Julho passado. A decisão foi adiada e uma nova sentença será proferida a 29 de Novembro.

Pelo fim ao fóssil: ocupa!

Jornal Mapa

Desde o dia 7 de novembro que 6 escolas em Lisboa se encontram ocupadas por estudantes que exigem o fim ao fóssil.   Duas escolas secundárias - Liceu Camões e...

«Juntos por el campo»? Juntas pela vida

Sara Moreira

Da «Espanha esvaziada» à extrema direita nas ruas, das «macrogranjas» às monoculturas energéticas… o mundo rural e o sistema agro-alimentar têm estado na ordem do dia do outro lado da raia.

Livraria Utopia Quarenta Anos à Margem

Cláudio Duque

Esta micro-história da livraria Utopia, um facto absolutamente marginal e periférico, só comprova que algumas coisas podem acontecer, e acontecem, nos interstícios do Sistema sem terem sequer, e muitas vezes não querendo ter, visibilidade, mesmo que nesta sociedade contemporânea haja a pretensão totalitária de só legitimar como existente o que se deixa ver.

Solidariedade com Alfredo Cospito

Jornal Mapa

Alfredo Cospito é um anarquista em greve de fome em face da imposição do 41 bis, um regime carcerário destinado a aniquilar completamente a pessoa. Em Itália, mais além do movimento anarquista, assistimos a uma repressão cada vez mais opressiva contra operários, estudantes e movimentos sociais.

Contra os gigantes da energia, auto-defesa e auto-organização eco-feminista

Jornal Mapa

Os governos neoliberais confiam a solução da crise energética aos mesmos senhores que a provocaram. As eco-feministas e defensoras da terra põem a nu as contradições de uma transição energética corporativa e desenvolvimentista que, se é que renova alguma coisa, é o conflito capital-vida.

Felizmente continua a haver luar (Maio/Julho 2022)

Jorge Valadas

Devem existir traços culturais profundos, experiências históricas, que, através dos séculos, levam uma sociedade a orientar-se, por intermitência mas de maneira recorrente, por certos valores e atitudes colectivas, medos, resignações, fatalidades.