shop-cart

Massacre de Melilla: as fronteiras são actos de violência

Teófilo Fagundes

A 24 de Junho, cerca de 2,000 pessoas tentaram saltar a vedação entre Marrocos e Melilla. A repressão foi brutal e resultou em 40 mortos, de longe o maior número de vítimas numa só tentativa de cruzar esta fronteira. Um resultado que sublinha a natureza mortífera das políticas fronteiriças da UE.

Solidariedade de armazém

Teófilo Fagundes

A Comissão [Europeia] congratula-se com o facto de os Estados-membros terem acordado hoje o início da implementação de um mecanismo de solidariedade voluntária, oferecendo relocalizações, contribuições financeiras e outras medidas...

As políticas mortais da Europa-Fortaleza

Teófilo Fagundes

«No período 1993-2022, mais de 48.647 mortes podem ser imputadas à militarização das fronteiras, às políticas de detenção e às deportações» As “Políticas mortais da Europa-Fortaleza” é uma campanha da...

Uma fronteira segura é aquela que não existe

Jornal Mapa

Ao longo da história, a humanidade tem migrado constantemente. O movimento de pessoas de lugar para lugar tem sido a força motriz por detrás da emergência de civilizações e da disseminação de invenções e ideias que viajaram com os grupos em movimento.