shop-cart

Lendo: «É preciso uma aldeia para educar uma criança»

«É preciso uma aldeia para educar uma criança»

«É preciso uma aldeia para educar uma criança»


No início de Setembro, a Vila de Soajo acolhe a quarta edição do Encontro Ser Educação, convidando mais uma vez ao debate e à troca de experiências em torno de “uma outra escola possível”.

Entre os dias 7 e 9 de Setembro de 2018, o evento propõe uma série de actividades de imersão em pedagogias alternativas, em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês, através de oficinas, palestras, jogos e concertos, passando por vários espaços comunitários de Soajo – da Casa do Povo até aos Baldios, passando pela Escola Primária e Centro Social.

Inspirado no provérbio africano «é preciso uma aldeia para educar uma criança», o mote desta quarta edição é a Comunidade – tema cristalizado na própria vila histórica onde o encontro tem lugar, conhecida pela sua eira comunitária de espigueiros monumentais, “paredes meias” com o recreio da Escola Primária.

Reconhecido internacionalmente pela Escola da Ponte que fundou e pelo seu pensamento crítico sobre o ensino, o professor José Pacheco irá falar no domingo à tarde sobre a escola “sem turmas, sem ciclos, sem testes ou exames, sem reprovações, sem campainhas” que defende. Um ciclo de palestras sobre Educação em Transformação está marcado para sábado de manhã e vai juntar diversos projectos educativos alternativos, como a escola O Mundo Somos Nós, de Vila Verde (inspirada nas ideias do filósofo e educador indiano Krishnamurti), e a própria EB1 de Soajo, que atravessa um processo de mudança dentro da escola pública, adaptando a abordagem pedagógica a métodos como o da Escola da Ponte, fundada por Pacheco nos anos 1970, com o apoio do agrupamento de escolas da região.

«Vamos também explorar a Floresta-Escola circundante e experimentar a gestão comunitária de baldios, com o projeto de Mini-Compartes», contam as organizadoras, da associação Moving Cause, sobre a actividade proposta pela investigadora Rita Serra, do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que pretende criar uma assembleia de crianças-compartes.

Um dos grandes desafios que as comunidades encontram – a comunicação – será abordado nas oficinas de Comunicação Consciente, pelo projecto Asas de Arco-íris, e de Media Comunitários, pela Rádio Manobras, que propõe a criação de uma equipa de jovens repórteres para a cobertura do encontro.

O encontro começa com um concerto do flautista Rão Kyao, na sexta-feira à noite na Casa do Povo. Ao longo do fim-de-semana, serão transmitidos saberes locais através de Jogos Tradicionais, um Atelier de Cerâmica e uma Oficina de Culinária Vegetariana onde irão participar cozinheiras do Centro Social de Soajo. Haverá ainda um pequeno mercado e refeições vegetarianas a cargo da “cozinha colaborativa” Barriguinha Verde, de Arcos de Valdevez.

O encontro é organizado pela associação Moving Cause desde 2015, e conta com o apoio da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, Junta de Freguesia de Soajo, Associação de Compartes dos Baldios de Soajo, Agrupamento de Escolas de Arcos de Valdevez, Casa das Artes, Centro Social e Paroquial de Soajo, e uma gasolineira para as deslocações dos convidados.

Mais informação sobre o encontro e formulário de inscrição (gratuita mas obrigatória) estão disponíveis no website https://sereducacao.movingcause.org.

Sara Moreira – saritamoreira@gmail.com

A story about


Written by

Jornal Mapa

Show Conversation (0)

Bookmark this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

0 People Replies to “«É preciso uma aldeia para educar uma criança»”